Páginas

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Como saber se uma planta é comestível? Identificando as venenosas

A amiga Neide Rigo deu uma palestra na última semana de agosto na Faculdade de Saude Pública da USP. Uma das meninas da platéia perguntou: "Mas como eu faço para saber se uma planta que está no meu quintal é comestível?"

Essa é uma pergunta que me persegue há anos, desde antes da faculdade. Foi ela que me motivou a pesquisar mais sobre plantas. Afinal, como eu sei para que serve aquilo que nasce no meu quintal? Arranco ou deixo aquela plantinha?

Antes de ser chamado de utilitarista, em minha defesa: quintais são pequenos, jardins são restritos, e é preciso fazer um manejo do que nasce. Um balanço do que fica e do que vai. Um desses critérios pode ser a utilidade: é útil por ser bonito, por ser medicinal, por ser comestível, por ser gostoso... Em geral, tendemos a manter o que é útil e descartar o que espeta, queima, agride, envenena.

Primeiro passo: reconhecer. Reconhecer é mais do que achar que é um simples "matinho". Os botânicos levam isso ao extremo, e podemos aprender com eles. As folhas são compridas ou redondas? São de que cor? A planta é uma trepadeira, um arbusto ou parece um "capim"? Existem flores? Como são as sementes? Tem alguma coisa que chama a atenção? Essas podem ser boas dicas para começar.

Já procurei no google uma planta que tinha lindas frutas azuis que me chamaram muito a atenção. Pesquisei: "Fruta azul" e fiquei olhando as fotos. Nada. Procurei por "fruta azul do cerrado" Até que uma foto parecia com a fruta que eu tinha visto. Abri a página e achei um nome estranho: Coccocypselum hirsutum. Joguei no google e era ela mesma! É um exemplo de raciocínio para identificar plantas, que é pouco eficiente, mas pode ser muito útil.(Aliás, anote: a maior parte dos frutos da familia Rubiacea são bem venenosos, azuis ou não!)

Você pode começar pelo simples: perguntando pra quem possa conhecer. Uma foto é sempre uma boa idéia, especialmente se você for pedir ajuda para grupos como o Hortelões Urbanos, que sempre de prontidão disponibilizam-se para ajudar. Ou ainda, existem grupos de identificação botânica que sempre resolvem dúvidas, das mais simples as mais complexas.

Se você gostar bastante do assunto, ter um livro de identificação de plantas invasivas ou daninhas pode ajudar muito. Da mesma forma, saber quais são as plantas venenosas é de grande ajuda. Para as venenosas, por hora, eu recomendo o "Venenosas - plantas que matam também curam", do autor Gil Felippe.

Sobre isso, algumas linhas gerais que aprendi lendo guias de sobrevivência sobre plantas comestíveis:

0 - Não existe um método certeiro e fácil de descobrir se uma planta é venenosa. Plantas podem ter frutos verdes venenosos e maduros comestíveis, assim como podem ter os frutos comestíveis e as folhas não, e vice-versa. Ou seja, uma mesma planta pode ter partes comestíveis e outras não-comestíveis.

1 - A dose faz toda diferença. Por exemplo, o Latyrus sativus, parente do feijão, é comestível mas apenas em períodos pequenos, porque a longo prazo causa doença degenerativa (latirismo).

2 - Famílias predominantemente venenosas. Há alguns gêneros onde as plantas são em geral bioativas, e podem ser tóxicas. Se você descobrir que sua planta faz parte de uma dessas famílias, ela tem altas chances de ser venenosa. Dentre eles, temos Acanthaceae, Araceae, Apocynaceae, Euphorbiaceae, Iridaceae, Lilliaceae, Ranunculaceae, Scrophulariaceae. Essas são as famílias mais comuns em plantas de jardins e quintais com potencial venenoso, e ao mesmo tempo, são os gêneros dentre os com plantas venenosas comuns que menos possuem espécies hortícolas. Ou seja, são poucas as espécies comestíveis dentro dessas famílias.  Claro que existem diversos outros gêneros perigosos em jardins e hortas, mas considero esses os mais relevantes.

3 - Plantas tipicamente ornamentais são venenosas - o paisagismo adora espécies perigosas. Hortência, petúnia, espada de são jorge, agapanto, croton, amarílis, leiteiro vermelho, lírios, antúrios, jasmins, todos venenosos. Apenas com exceção das rosas.

4 - A família Solanaceae possui muitas espécies com frutos comestíveis: tomate, physalis, berinjela, pimenta, jiló, além da comum batata. Contudo, a maior parte das outras espécies do gênero Solanum não são comestíveis, ou possuem folhas venenosas. Acredito que possa estender essa lista para a maior parte das espécies de Solanaceas, que embora seja uma família enorme, tem espécies extremamente perigosas.

5 - Frutos brancos e azuis, em geral, não são comestíveis.

6 - Família Asteraceae, Fabaceae e Curcubitaceae. Por serem famílias enormes, contém plantas comestíveis e plantas extremamente venenosas. Nesse caso, a família botânica não é de grande relevância. 

7 - Plantas venenosas não precisam ser necessariamente amargas ou ter gosto ruim. Elas podem ter gosto neutro e não apresentar picância, nem coceira, nem irritação.

8 - Plantas que soltam "leite" ou "seiva" ou "látex" são, em geral, venenosas, com exceções, especialmente para a família das Asteraceas, como a alface. Mas muitas plantas dessa família podem ser venenosas.

9 - Plantas muito peludas, espinhosas, com cores fortes ou que causem urticância.

Por fim, resolvi facilitar um pouco a vida de quem tem muita coisa desconhecida nascendo no quintal e quer saber se ela é comestível. A primeira regra é: não prove nada se não tiver certeza de que é comestível.

3 comentários:

  1. Eu colhi um especie de feijao de corda preto ele cresceu no pé de abacate .queria saber se e comestível?

    ResponderExcluir
  2. Eu colhi um especie de feijao de corda preto ele cresceu no pé de abacate .queria saber se e comestível?

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...