Páginas

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Como diferenciar serralha e dente-de-leão



Todas comestíveis. Sabe identificar?
Emília, radite, radite, lingua de vaca, dente de leão,
alface do mato, crepe do japão e serralha.
Dente de leão, radite, erva de touro (não comestivel),
serralha, serralhinha e picão.
(foto de André Benedito)
Na verdade, esse título ficaria um pouco longo: como identificar plantas da família das asteraceaes, cujas flores são parentes da margarida e da alface, em geral amarelas ou brancas, e nascem em forma de roseta?

Traduzindo: quais os matos comestíveis parentes da alface que são bons de comer? Para nossa sorte, quase todas as plantas que são parecidas nessa família são comestíveis, ufa! A dificuldade é na descrição: todas, em algum momento de suas vidas, possuem folhas compridas, recortadas, que partem todas de uma mesma base, rente ao chão; flores amarelas, sementes voadoras, sabor amarguinho e presença de látex.

Vale ressaltar que, assim como as borboletas, em diferentes fases das vida sua forma pode variar. Muitas, quando jovens, ficam em forma de roseta, rentes ao chão. Porém quando chega a época de florescer, algumas espicham e se mostram, ficando mais fácil de reconhecer. Dessa forma, um dente de leão sem flor e uma serralha sem flor são quase idênticos.

Para consumir, todas podem ser comidas cozidas. O sabor amargo de algumas pode ser melhorado de três maneiras: fervendo; picando e deixando de molho em água fria, ou temperando com molhos à base de fruta, mel ou geléia.

Vamos a cada uma delas?


Dente de Leão (Taraxacum officinale)


Essa é a planta com o clássico pompom que virou moda até em tatuagens. As flores amarelas são vistosas, as folhas são serreadas, com o caule avermelhado na base. Essa planta da apenas uma flor por haste e não possui caule. Por seu sabor amarguinho, é usada de forma similar à catalonha e escarola. Muito nutritiva, até sua raiz pode ser usada, quando assada, como substituto do café, além de ser um excelente digestivo.

Serralha (Sonchus oleraceus)

Folhas verdes ou arroxeadas, se pegar muito sol.

Forma característica quando adulta.
Quando jovem é idêntica ao dente de leão, mas quando cresce fica com caule longo, oco, e produz cacho de flores amarelas nas pontas. O dente de leão não tem caule e pruduz apenas uma flor, muito maior, essa é a diferença. Um clássico da cozinha caipira, vai bem em saladas, refogada e cozida com carne de ave.

Almeirão do mato, radite (Hypochaeris radicata, Hypochaeris chillensis)

A folha pode ser lisa

Ou muito recortada.

Muitas flores em uma mesma haste.

Muito parecido com o dente de leão, mas tem três características marcantes. A primeira, a lamina foliar parte desde a base da folha, é "gordinha" do começo ao fim. Pode ser mais ou menos serrilhada. É em geral mais peluda que o dente de leão. E por fim, produz muitas flores em uma mesma haste, enquanto o dente de leão produz uma só.

Alface do mato (Lactuca serriola)

Note as folhas serreadas.
Ela pode chegar a mais de 2 metros!
 Parece a serralha, mas possui as folhas com um formato diferente, mais serreada, parecendo um pente. Uso similar, pode ser bem amarga, precisando ficar de molho para tirar o amargor. Mas tem vantagens: é digestiva, calmante e muito rica em fibras. Amarguinho bom pra saúde. Pode chegar a mais de 2 metros de altura.

Almeirão roxo ou japonês (Lactuca canadensis)



Uma das menos amargas, parece muito a alface do mato, podendo ter folhas inteiras ou recortadas, em geral com veios roxos. Fica muito alta e já é vendida em feiras e mercados.

Serralhinha ou emilia (Emilia fosbergii, Emilia sonchifolia)


Embora muito consumida, há trabalhos indicando que pode fazer mal para a saúde em grandes quantidades, devido à presença de alcalóides tóxicos. Usada com moderação, é a única que possui flores vermelhas, comestíveis aliás.

Crepe do Japão (Crepis japonica)


A menor de todas, possui as bordas da folha avermelhadas, flores amarelas pequenas e gosta de climas mais frios. Pode ser consumida como a alface, é bem pouco amarga, mas é preciso uma boa colheita para render bem.

Capiçoba ou Gondó (Erechtites ssp)


Planta jovem da variedade verde.
Planta jovem da variedade roxa.
Uma planta comum em solos férteis e mais úmidos, é a única sem amargor nenhum e com sabor parecido com o da rúcula. Possui flores brancas ou rosadas, e muitos formatos e cores de folha. Muito saborosa em saladas.

DESAFIO

Consegue diferenciar?
Rosa: dente de leão
Amarelo: Crepe do japão
Azul: radite
Roxo: serralha
Vermelho: serralinha.

14 comentários:

  1. Olá Guilherme, fiquei muito contente com esse post, pois agora sei que todos estes posso comer... tenho lá no sítio!!!! E esse fim de semana já irei experimentar, pois até então havia comido apenas a serralhinha.
    Obrigada, abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juni, depois conte pra nós o que achou! Um abraço

      Excluir
  2. Nossa! Sensacional este post! Aprendi com o William e as pessoas de um vilarejo que morei, mas nunca vi nada assim formalizado e completo. Poderiam fazer um PDF dessa página, que tal? Claro, com os devidos créditos, claro!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. oi, Sou a Tiesca Badeaz, esses saberes já estão na minha família dede sempre, essa plantas nascem ond cruzam pessoas, é importante deixar o miolo para q possa sempre florescer e deixar descendentes, muita calma nessa hora

    ResponderExcluir
  5. Muito legal. Faltou só explicar que essas plantas são bianuais, ou seja, vegetam em um ano e se reproduzem só no outro, e com o passar das estações as folhas mudam de forma.

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde! Vocês tem algum material ilustrativo sobre as PANC? Obrigada

    ResponderExcluir
  7. Perfeito. Parabéns!!!!
    Sou professora na area ambiental e achei perfeitamente didática sua matéria. Para além da importancia essencial desses conhecimentos, você é ótimo professor. Continue. Muito obrigada.

    ResponderExcluir
  8. Guilherme, preciso te agradecer, sempre, por este blog. Eu o acompanhava ano passado e fazia tempos que não lia quando,semana passada, quis comer uma salada e não tinha verduras em casa. Lembrei do dente de leão (que não tenho aqui) e dos muitos "primos dele" que nascem aqui no meu quintal, e fui pra internet tentar descobrir o que eu poderia colher para a salada. Pois fui parar justamente aqui no teu blog, numa postagem de 2 dias antes! Grata. E sim, aqui tinha serralha pra salada..

    ResponderExcluir
  9. Mas quero te perguntar a respeito de outras espécies da mesma família, que também produzem o tam pompom de sementes voadoras. Tenho muito por aqui uma espécie que dá flores como um botão. Essas flores nascem uma por caule, mas podem ter vários caules na mesma roseta de folhas. Esses botões parecem não se abrir, ficam virados meio para baixo. Consegui ver um deles em flor, o que dele acontecer num curto período de tempo, pois nunca havia visto. São brancas, e se abrem discretamente na ponta desse botão (o qual tem tons de um branco rosado). Formam pompons menores que o do dente de leão, mas grandes ainda. As folhas começam estreitas perto do miolo, e se alargam nas pontas.
    Já vi por aqui outras espécies que dão flores assim, só que menores. Você consegue ter ideia, pela descrição, de que plantas são?
    Afinal, elas são abundantes aqui, e estou bem afim de colocá-las na panela!
    Posso enviar fotos se me informar um email.
    Abraço!
    Rita

    ResponderExcluir
  10. Mas quero te perguntar a respeito de outras espécies da mesma família, que também produzem o tam pompom de sementes voadoras. Tenho muito por aqui uma espécie que dá flores como um botão. Essas flores nascem uma por caule, mas podem ter vários caules na mesma roseta de folhas. Esses botões parecem não se abrir, ficam virados meio para baixo. Consegui ver um deles em flor, o que dele acontecer num curto período de tempo, pois nunca havia visto. São brancas, e se abrem discretamente na ponta desse botão (o qual tem tons de um branco rosado). Formam pompons menores que o do dente de leão, mas grandes ainda. As folhas começam estreitas perto do miolo, e se alargam nas pontas.
    Já vi por aqui outras espécies que dão flores assim, só que menores. Você consegue ter ideia, pela descrição, de que plantas são?
    Afinal, elas são abundantes aqui, e estou bem afim de colocá-las na panela!
    Posso enviar fotos se me informar um email.
    Abraço!
    Rita

    ResponderExcluir
  11. Esse post acabou de tirar minhas duvidas, na minha empresa à um espaço gramado e meio úmido, onde tem caruru, bredo, serralha e erva-de-ganço. Mais fazia tempo que estava observando uma verdura muito bonita que se multiplicou-se muito (acho que devido as roçagens do mato), mais eu estava com um pé atrás kkk, mais pelo que olhei aqui é uma radite, (só que ela deu as flores amarelas, secou, e eu a desmanchei o botão e não encontrei as sementes). parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  12. Nossa, muito bom! Obrigada pelo Post! ;)

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...