terça-feira, 2 de agosto de 2016

Masterchef aposta em desafio com matos comestíveis


No episódio do Masterchef Brasil dessa semana, um dos desafios é cozinhar com matos e plantas não convencionais, que os chefes reconhecem o valor culinário e usam em seus restaurantes. A chef Paolla Carosella, com quem tive a oportunidade de trabalhar em seu restaurante Arturito, tem massas com taioba, folhas de batata doce acompanhando alguns pratos, saladas com flores de malvavisco, trapoeraba e até mesmo folhas de vinagreira, e ainda está desenvolvendo drinks e bebidas com essas espécies.

Ainda aqui em São Paulo, restaurantes como o Mani, comandado pela chef Helena Rizzo, assim como o Tuju, encabeçado por Ivan Ralston, também incluíram matos comestíveis e hortaliças não convencionais em seus cardápios. São restaurantes de cozinha contemporânea que abriram os olhos para todo o potencial inexplorado dessas plantas.

Diferente dos participantes do Masterchef, que foram pegos de surpresa com o desafio cozinhar com hortaliças desconhecidas, aqui você pode saber mais sobre elas, aprender a cultivá-las e a claro, como utilizar na cozinha.

Capuchinha, vai encarar?
O nome plantas alimentícias não convencionais (PANC), matos de comer ou hortaliças não convencionais se refere à todas as plantas que poderíamos consumir, mas não consumimos. Dessa forma, inclui frutas silvestres e cultivadas em outros locais; vários tipos de grãos, feijões, vagens e cereais. Ainda, pode referir-se a diversos tipos de hortaliças, usadas tanto para saladas quanto como condimentos e ingrediente nos mais diversos pratos.
  
Além de oferecer novos sabores, essas plantas também estão associadas à valorização de conhecimentos que correm o risco de desaparecer, como diversas plantas que caíram em desuso, como a serralha, a taioba e a tiririca. Ainda, ajudam a valorizar a nossa biodiversidade nativa, nossos frutos e hortaliças, além de popularizar o uso de plantas famosas apenas em algumas regiões, como o maxixe, o jambu, a bertalha, a palma, o cubiu e a ora-pro-nobis.

E porque consumir essas plantas? Se você ainda não acredita no seu sabor e no potencial na cozinha, saiba que são ricas em diversos tipos de vitaminas e minerais, opções nutritivas para complementar o cardápio. Devido à sua resistência e rusticidade, não precisam de veneno nem de fertilizantes, resultando em um alimento naturalmente mais saudável.

Das hortaliças ou PANC usadas na prova do Masterchef de hoje, vamos conhecer algumas delas e suas formas de preparo. As plantas usadas na competição foram a taioba, a vinagreira, o lírio do brejo, o peixinho, a ora-pro-nobis, o malvavisco, a capuchinha, o tupinambo, a trapoeraba e a capeba. Para saber mais, clique aqui e conheça tudo sobre cada uma delas.

4 comentários:

  1. Olá Guilherme, tenho algumas fotos de umas plantas e frutinhas que tenho no sítio com uma parte de serra preservada e que "acho" que são de comer, posso enviar pra você ver se conhece? Pode me passar seu e mail? O meu é jmeloni7@gmail.com
    Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Juni, mande para nós no matosdecomer@gmail.com, adoraremos ajudar :D

      Excluir
  2. oi Gui, tenho a foto de 2 plantas que nasceram espontaneamente no meu quintal, posso enviar para você ver se me ajuda a identificar.... Obrigada!

    ResponderExcluir
  3. A tiririca (Cipeurus rotundus) é uma erva invasora comum em todo o Brasil. Ouvi dizer que no Masterchef alguém a utilizou para preparar um prato. Alguém sabe a receita?

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...