Páginas

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Capeba, Pimenta de Folha, Hoja Santa

Folha rugosa e arredondada.

Depois de duas semanas meio corridas, estamos de volta. Foram bastante oficinas e especialmente muito trabalho, então as atividades não-remuneradas vão ficando pra trás, mesmo que sejam elas aquilo que mais gostamos de fazer!

Para quem está acostumado a fazer trilhas, ou mora em regiões mais úmidas, logo vai reconhecer a planta de hoje. Falaremos da capeba (Piper umbellatum), em algumas regiões chamada de pariparoba - embora receba os dois nomes, pariparoba pode referir-se a outra espécie, não comestível e muito usada na medicina caseira, com as folhas mais rígidas, menos rugosas e mais brilhantes.



Ela fica alta. Essas tinham 3 metros.

Uma coisa que gosto nas plantas que nascem na sombra é o tamanho da folha, sua suavidade e ausência de fibras - a exemplo da taioba, a capeba tem as folhas macias e não demanda muito cozimento. A capeba é uma piperácea, a mesma família das peperomias ornamentais, da pimenta longa e da tão famosa pimenta do reino. Ela, assim como suas parentes, possui aroma picante e é levemente ardida, sendo usada tanto como hortaliça quanto como tempero.

Folha grande é boa para colher, para lavar, para comer picadinho e claro, para brincar de embrulhar carnes, peixes, charutos de legumes, de grãos, e até para servir de embalagem para trouxas e pacotinhos comestíveis. Tudo que for cozido dentro dessa folha vai ser infundido por um cheiro amadeirado e picante, semelhante ao da pimenta. Para quem tem paladares menos apimentados, uma dica é picar fininho a folha, aferventar e usar, removendo boa parte da picância, mas mantendo o sabor característico.

Na medicina caseira, é empregada nos mais diversos usos: para problemas digestivos, respiratórios, para inflamações e para doenças da pele. 

Sugestões de uso? Para pratos que exijam sabor, assim como para substituir a couve refogada, no caldo verde, e as folhas de uva em charutinho. Acho que pode ficar gostosa temperando drinks, e arriscaria que substitui o zimbro em cozidos /á base de carnes de cordeiro. 

É uma boa planta para quem não tem muito sol, mora em ambiente mais úmido e não tem muito espaço - por ser arbórea, cresce para cima, e não para os lados. E claro, folhas mais jovens sempre são mais delicadas e  macias. Para identificar, procure pelas frutos, que são esbranquiçados e em forma de "dedinhos", moles e amargos quando maduros.

Frutos abaixo das folhas: ajuda na identificação.

Detalhe do fruto.

No México, são usadas folhas parecidas, como condimento e para enrolar carnes e tamales, denominada hoja santa (Piper auritum). Vale dar uma olhada em receitas para se inspirar.


Para plantar, pegue frutos maduros e molengas (os dedinhos), esmague, misture com terra fértil e espalhe na área onde deseja ter mudas. Por transplante, eu ao menos não tive muito sucesso e fazer mudas. Alguns trabalhos recomendam a reprodução por estacas, usando a porção mediana do caule e preparando estacas com apenas 1 nó, usando substrato rico em matéria orgânica, com índices de sobrevivência de uma a cada três mudas. Lembrando que a planta é de chão de floresta, não gosta de muito sol, muito vento, aprecia umidade constante e solo fértil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...