Páginas

domingo, 16 de novembro de 2014

Cheiro bom: manjericão nativo

Que manjericão é bom, ninguém duvida. Das ervas cheirosas, junto com capim limão, alecrim e hortelã, a mais fácil de encontrar em qualquer horta de respeito. No norte, o coentro ainda reina soberano até pra molho de tomate, de forma que o manjericão é remédio pra virose a ajuda espantar pulgas de animais. No resto do Brasil, especialmente sudeste, o manjericão é mais famoso, em parte, por causa da imigração italiana, e está nas cozinhas das mammas de respeito, molho de macarrão, pesto, caponata, pizza. Não dá pra desassociar uma boa comida italiana do manjericão.

O curioso é que isso muda muito no mundo inteiro. O manjericão, na ásia, é visto com um complemento perfeito para arroz, peixes e sopas. O manjericão que eles usam lá tem um cheiro diferente do nosso, claro, com forte aroma de erva-doce. A culinária da Tailândia é completamente apoiada no sabor do manjericão. Você imaginava?

Esses dias estava conversando com a amiga Patricia Higgins sobre os manjericões. Pelo visto, ela é apaixonada como eu por eles. E surgiu a dúvida: quantos tipos de manjericão existem?

Manjericão limão, manjericão santo, manjericão italiano,
alfavaca-do-campo, manjericão-anis.
A questão, mais uma vez, passa pelo velho problema da nomenclatura. Nomeamos todas as espécies de Ocimum com o nome popular de manjericão. Mas isso pode ser uma perda enorme, especialmente porque engloba espécies tão distintas. No Brasil, por sorte, temos um outro nome pro manjericão - o nome alfavaca.

Alfavaca ou não, temos uma diversidade enorme de manjericões que poderiam nascer no nosso quintal e não demos a menor importância. O assunto é enorme e muito divertido.

O manjericão mais comum, aquele da pizza, é o Ocimum basilicum. Mas não se engane, ele pode ter muitas formas e aromas diferentes, tendo mais de uma centena de variedades, de folhas redondas, pontudos, finas, grossas, vermelhas, roxas - com aroma de cravo, aroma de anis, aroma clássico de manjericão, aroma de limão e até aroma de canela.

Fora do Brasil, são mais comuns as espécies de manjericão indiano, tailandês e americano. Falaremos delas, e em seguida, das nossas preciosas espécies nativas. 

Manjericão Tailandês

O manjericão tailandês, de folhas menores e flores roxas, é uma variedade - Ocimum basilicum var. thyrsiflorum, com aroma de anis.O crescimento dele é mais lento e seu aspecto é característico. Pode ser usado para aromatizar pratos doces e salgados, substituindo o anis ou erva-doce. Indispensável em pratos tailandeses, combinado com gengibre, erva cidreira e leite de côco.
Manjericão tailandês, com cheiro de anis.
Porte pequeno, caules e flores roxas.

Manjericão Limão

Temos ainda o manjericão-limão, híbridos do Ocimum americanum, com um aroma delicioso de limão.Seu perfume cítrico é adocicado e lembra a erva-cidreira ou a casca do limão. Produz um chá delicoso. Planta de pequeno porte.
Manjericão americano, ou manjericão-limão, cheiro de limão.

Manjericão Santo ou Tulsi

Na Índia, é sagrado o Ocimum tenuiflorum, antes chamado de Ocimum sanctum. Embora utilizado na medicina, para alguns grupos religiosos, como os Hare Krishna, ele tem uma representação sagrada. Seu aroma é único, e me lembra uma mistura de manjericão, baunilha e guaraná, doce e inebriante. Consegue imaginar?

Manjericão santo, Ocimum tenuiflorum.
Aroma puxado pro guaraná.
Dá para sentir só de chegar perto.
No Brasil, não ache que somos monótonos em manjericão. Temos o Ocimum gratíssimum, ou alfavacão, com um cheiro delicioso de cravo. Mas nativos, e especiais mesmo, temos dois: o manjericão-anis e o manjericão-grande, ou alfavaca da amazônia.


Manjericão Anis ou Graúdo

O manjericão anis (Ocimum selloi) é nativo do Brasil, mais comum na região sul e sudeste, e é usado amplamente na medicina popular, às vezes vendido como "atroveram". Se funciona pra cólicas eu não sei, mas seu aroma é espetacular. É um manjericão bom pra temperar doces, como gemadas, pudins, cremes e até compotas. Não somos muito acostumados com o sabor do anis, mas ele fica interessante com frutos do mar, assim como se faz na Tailândia e China, onde o sabor de anis é mais associado a salgados do que a doces. O nosso, tem a folha grande, macia e doce, e pega fácil por muda ou estaca deixada em água algumas semanas.

Para quem gosta de nomes difíceis, seu óleo essencial contém 1,8-cineol, transcariofileno, linalol, estragol, trans-anetol e metileugenol. Dados daqui. No caso, o estragol e o trans-anetol são as substâncias com o cheiro de anis predominante.

O. selloi, manjericão-anis, atroveram.
Flores lilases. Aqui, já secando.
As folhas são grossas, brilhantes.
A planta inteira exala um cheiro forte de anis.
Folhas típicas, serrilhadas, sem penugem. Foto daqui.

Manjericão-Grande ou Alfavaca da Amazônia

O manjericão-grande, manjericão da amazônia ou alfavacão-do-campo é o Ocimum campechianum, uma jóia rara que o Brasil parece não ter descoberto ainda. Nasce facilmente no jardim, e depois de plantada, ela vai se auto-semear por toda parte. Parece uma mistura de vários cheiros juntos, lembrando especiarias, limão, manjericão e com uma nota doce de fundo (noz moscada). Pelo menos o que eu tenho em casa, tem esse cheiro incrível. Como tempero eu acho muito forte, mas dá um chá muito gostoso. É uma planta rústica, que pega fácil de semente.

Sua composição consta valores variáveis de eugenol, 1-8-cineol, eucaliptol, metileugenol e elemicina. Valores daqui. A elemicina dá um aroma que lembra noz-moscada, assim como o metileugenol dá um fundo de especiarias.

No Pará existe uma variedade muito usada como condimento do tacacá, pertencente à mesma espécie mas com aroma um tanto diferente do meu, aqui de São Paulo.

Alfavaca do campo, O. campechianum. 
Folhas bem grandes, sem pelos, opacas. Nativa e perfumada.
Em plantas velhas, as folhas ficam só nas pontas,
com os galhos a mostra.

E você, conhece algum deles? Como costuma usar?

15 comentários:

  1. Nossa, nem imaginava que tinha tanto tipo de manjericão! Por acaso tenho um pé de manjericão -aniz aqui na varanda, que está dando sementes. Vou procurar as outras variedades também. Obrigada por compartilhar tanta informação boa :)

    ResponderExcluir
  2. Olá, experimente usar o chá de alfavaca para fazer peixe cozido, fica divino. É feito assim aqui no Ceará em algumas praias, apenas substitua a água do cozimento pelo chá.

    ResponderExcluir
  3. Eu quero mudas! Vou ao próximo picnic!

    ResponderExcluir
  4. Também sou apaixonada pelas alfavacas. Guilherme, você sabe onde consigo o magericão da amazônia? Tenho os Ocimum basilucum e o selloi, mas amo tanto esta turma que quero semear vários deles por aqui. Aguardo seu retorno. Obrigada. Mariângela. (mariangela.porteladasilva@gmail.com)

    ResponderExcluir
  5. Bom dia

    Sou amante de jardinagem e colecciono plantas aromáticas no meu jardim (pode visitar em: https://www.facebook.com/somethingintheyard)

    Ando há imenso tempo à procurar dessas espécies de manjericão: ocimum selloi, o grantissimum e o tenuiflorum, e agora depois de encontrado este post também quero o campechianum. São das únicas espécies perenes de manjericão certo? Elas voltam a desenvolver-se de ano para ano?

    O problema é que aqui em Portugal, Lisboa, não existem essas espécies à venda :( vai ser complicado encontrar!

    Parabéns pelas suas plantas!
    Gonçalo

    ResponderExcluir
  6. tambem tenho pe de alfavaca aqui em casa, e gostaria de compartilhar.

    ResponderExcluir
  7. Eu uso alfavaca pra fazer camarão aonbafo. Sem ele o prato fica total sem graça. Ele dá um aroma e um sabor adocicado inigualavel. Testa e me diz!

    ResponderExcluir
  8. Eu uso alfavaca pra fazer camarão aonbafo. Sem ele o prato fica total sem graça. Ele dá um aroma e um sabor adocicado inigualavel. Testa e me diz!

    ResponderExcluir
  9. Parabéns pela página, Guilherme!!
    Também tenho alfavaca da amazônia aqui no sítio, aliás, está tomando conta da horta, criando mudas aos montes...tenho mudas disponíveis =:) (Sou de Monte Sião - sul de Minas)

    ResponderExcluir
  10. Sou do Pará.
    Lá nos usamos o Alfavacão não em comidas, mas em banhos. Lavar a cabeça quando se está congestionado. E a alfavaquinha é o tempero secreto do tucupi!!! MAs temos lá tmb o manjericão q lembra esses manjericão limão da foto acima. É uma diversidade de aromas fantásstica!!

    ResponderExcluir
  11. Tenho o que acredito ser alfavaquinha. Uso no tempero do quibe assado e como chá. Uma delícia. Poderíamos trocar sementes por carta simples. O que acham? meu e-mail: lipicia@gmail.com

    ResponderExcluir
  12. Olá! Eu fiz o molho pesto e ficou amargo, por isso imaginei que deveria existir mais de um tipo de manjericao (e eu havia usado o errado). Vc poderia me informar qual o manjericao deve ser usado no molho pesto? Eh o chamado manjericao de folha larga. Mas não sei qual desses seria. Obrigada!

    ResponderExcluir
  13. Senti falta do mangericão roxo nessa lista...

    ResponderExcluir
  14. Senti falta do mangericão roxo nessa lista...

    ResponderExcluir
  15. Existia uma planta perfumada parecida com manjericão, de folhas iguais ao manjericão brasileiro , verde um pouco mais clara são mais "gordinhas" tem texturas das folhas de impatiens , um pouco brilhantes e maleáveis, tem um perfume inconfundível, é o cheiro de minha infância, só ela cheirava daquele jeito, hoje ela não existe mais, seu nome no interior de MG é "Catinga de Mulata' vivo "caçando" essa planta, mas aqui no estado de São Paulo ninguém conhece, vc conhece?

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...