Páginas

quinta-feira, 21 de julho de 2016

O maior feijão do mundo: feijão espada, feijão cavalo

O maior feijão do mundo
O maior feijão do mundo mesmo. Esse bate todos os recordes. A planta não é tão grande ou vigorosa quanto um feijão mangalô ou orelha de padre, mas atinge um bom tamanho, além de tem vagens de até 50 centímetros e feijões com até cinco gramas.

Não encontrei registro de quando o feijão-espada chegou ao Brasil mas consta que é cultivado no nordeste e sudeste como adubação verde, como ornamental e como curiosidade botânica. Seu nome científico é Canavalia gladiata, sendo gladius, do latim, espada, origem próxima de gladiador, "lutador de espada". A vagem, de fato, parece uma grande espada vegetal. Ele é originário da Ásia, mas já é cultivado em diversos países, embora seja um vegetal mais consumido por lá. 

A flor, e alguns meses depois, os frutos.

Feijões jovens já enormes.



A parte comestível são as sementes e as vagens, sempre tenros e verdolengos. Existem quatro estágio de colheita.

No primeiro, com as vagens planas, com aproximadamente 30 a 40 dias, sem que os feijões tenham sido formados completamente, são usadas como feijão de vagem ou feijão verde, fatiadas fininho e com sabor de vagem comum.

O segundo estágio, algumas semanas depois, quando amadurece um pouco mais, com os feijões na metade do tamanho, as vagens podem ser consumidas. Nesse caso, raspa-se o miolo esponjoso a parte verde e as sementes jovens são consumidas. 

No terceiro estágio, como o da primeira foto, tendo a vagem já espessa, gorda, com feijões grandes, porém imaturos, apenas os grãos são consumidos, porque a vagem fica fibrosa e dura como couro. Não recomenda-se o consumo do feijão seco cozido, o quarto estágio, e explico o porquê.

Assim como o feijão-de-porco, esse feijão inicia a produção de toxinas mais ou menos a partir do 30 dia a partir da floração, e os níveis de toxinas vão aumentando até o desenvolvimento do grão seco. Portanto, quanto mais jovem a vagem e o grão, mais fácil de preparar por ter menos compostos antinutricionais. Para vagens jovens e grãos "verdes", basta uma ou duas fervuras, descartar a água e consumir. 

Os compostos que são presentes no feijão seco, como a concavanina A, cavanina e canalina acumulam-se com o tempo no grão, demandando que sejam retiradas. Para tanto, caso pretenda utilizar o grão seco, primeiro é preciso deixá-lo imerso em água por algumas horas, para que inicie o processo de germinação. A água deve ser substituída a cada quatro horas. Depois que o grão hidratar, a pele deve ser removida e ele deve ser cozido até amolecer. Depois, os grãos ficam em molho em água, sendo essa água removida ao menos quatro vezes por dia por volta de três dias, quando o grão estará seguro para consumo. É o mesmo processo de produção do tremoço, um grão extremamente amargo e tóxico que após esse processo, é comestível e usado como petisco - aqui em São Paulo, assim como na Bolívia, em Portugal e na Itália são bem comuns. 

Para os grãos verdes, como os da foto, no terceiro estágio de maturação, ainda tenros e macios, o preparo é mais simples. Basta fazer um corte lateral nos feijões e cozinhar até a pele começar a soltar. Ela deve ser tirada, porque é borrachuda e grossa, chegando a parecer sintética de tão bonita e brilhante. Então, o feijão deve ser cozido em nova água até amaciar completamente, e a água, descartada. Sinceramente, eu gostaria de ter colhido as vagens um estágio de maturação antes, porque colhi velhas e não pude aproveitá-las, só o grão. Essa vagem tinha 420gr de peso com os grãos. Acredito que renderia uns 300gr de vagem se limpas e fatiadas. Então, como sugestão pra mim no futuro, colher as vagens tenras ao invés de privilegiar os grãos - rende mais.

Para plantar, basta enterrar o grão e esperar a magia acontecer. Como é uma planta robusta, não se dá bem em vasos e precisa de pleno sol, em locais com solo mais seco ou nunca encharcado, nada de beira de córregos e lagos. Por ser trepadeira, precisa de algo para se apoiar. A produção se dá entre 120 e 200 dias a partir do plantio, e dependendo do clima a planta comporta-se como bianual. 

Para abrir, passe uma faca na parte superior,
que a vagem abre sem resistência.

50gr de grãos em apenas 7 grãos.

Esse miolo macio deve ser retirado, caso vá consumir
a vagem verde.

Uma vagem rende um punhado cheio.

7 comentários:

  1. incrível !!
    nunca tinha ouvido falar !!
    :o)
    http://elianeapkroker.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Excelente artigo. Tenho desse feijão e não sabia como usá - lo. Com essas dicas será fácil. Obrigado por compartilhar!

    ResponderExcluir
  3. Plantei uma semente desse feijão e ele enramou pela cerca toda; agora começou a florir. Achei muito bonito, e vou plantar quatro mudas em um camaranchão.

    ResponderExcluir
  4. que incrivel!!onde eu posso conseguir este feijão pra mim plantar?se alguem souber me avise!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Eliane!Gostaria de receber informações sobre custo das sementes.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...