Páginas

sábado, 8 de agosto de 2015

Feijão guandu verde. Não compre mais ervilha!

Vagem verde - pra abrir, tem um segredo.
Antes que vocês cansem de guandu, deixe eu falar dele uma última vez. Eu ganhei sementes de vários tipos dele, e a produção é sempre farta. É um feijão rústico, de crescimento rápido e alta produtividade. Aqui no Brasil é pensado para alimentar o gado nos meses e estiagem, porque o feijão guandu, com suas raízes profundas, mantém-se verde o ano todo, sendo uma boa forragem na época em que as demais estão secas. 

A planta é linda e dá uma boa sombra para plantas mais delicadas, que gostam de sombra, ou que não aguentam calor muito forte. Cheguei a plantar até mesmo algumas verduras aos pés dele, e ao que tudo indica, gostaram bastante. Ele não é exigente com água, com fertilidade, apenas precisa de sol pleno e um solo que não encharque.

Os pés estão carregadinhos.
Verifique se os feijões estão gordinhos

Pois bem, é época da colheita. O ano todo o é, na verdade, mas agora está especialmente farto. De apenas três pés eu tirei 1,5kg de vagens verdes, fora as secas. Pra melhorar, um vizinho fez a cerca dele com guandu, mas provavelmente não sabe que come-se, ou tem preguiça de colher. Enquanto meus grãos já secaram no pé, os dele estão verdes, inchados e suculentos. A vagem do guandu é levemente oleosa e um tanto chata de descascar se você não souber a técnica que vou ensinar. Ele é difícil de abrir quando recém colhido, mas basta colher num dia seco, deixar aberto no tempo por uma tarde quente, à sombra, e depois aberto na geladeira por mais um ou dois dias. Passado esse tempo, a vagem, antes dura e flexível, difícil de romper, torna-se ressecada. Basta apertar uma das extremidades, e pof, ela se rompe e a vagem se abre em segundos. Os feijões, que frescos são colados à vagem, despencam na hora.

Rende bastante. Tudo colheita de um único pé.
Se fosse ervilha, teria que ter plantado mais, muito mais.
Eu consumia as vagens apenas cozidas na água e ia debulhando à medida que ia comendo, abrindo igual amendoim cozido, como se faz no nordeste. Isso porque as achava difíceis de abrir, cansativo. A técnica de deixar aberto para secar funcionou, então agora tenho ervilhas verdes frescas o ano inteiro. Elas congelam bem, pelo que testei, e acho que podem ser conservadas na salmoura igual ervilha em lata, cozidas e colocadas num pote esterilizado e hermeticamente fechado, igual se faz com geleia. A única desvantagem é que são pálidos, não são tão verdinhos quanto ervilhas frescas de verdade. Ficam com aspecto de... ervilha em lata.



Enquanto o guandu seco demora muito tempo pra cozinhar, mesmo na pressão, e precisa ter sua água trocada duas vezes para tirar o amargo, o feijão verde tem um amargo quase imperceptível e é bem mais saboroso que essas ervilhas em lata. Dá pra fazer purê, bolinho, risoto, torta salgada e até salada tipo vinagrete. Então, guandu verde economiza tempo, gás e energia. Uma beleza. Fora do Brasil é até mesmo vendido em lata, o que prova que eu não estou falando de nenhuma novidade.


Foto retirada daqui. 

O sabor? É mais forte que o da ervilha, mas é bom, ainda lembra ervilha. Tem algo de defumado e um tanto umami, combina bem com temperos fortes e cogumelos. Aliás, na Costa Rita, o prato nacional é o arroz con guandules, vulgo arroz com guandu. A receita original pede uma base chamada sofrito, um refogado de cebola, pimenta, coentro, urucum, cúrcuma, alho e pimentão. Difere dos outros sofritos aqui da américa latina, que vão tomate, por exemplo. A receita que usei como referência usava banha, então substitui pelo que tinha em mãos, manteiga. Para ficar mais leve, troquei a carne de porco por cogumelos. Se ainda quiser um sabor extra, pode adicionar tofu defumado ou bacon na hora de preparar o sofrito.

Arroz com guandu verde e cogumelos (serve 4 pessoas)



Ingredientes:
2 xícaras de guandu verde debulhado
2 xícaras de arroz cozido firme (usei integral vermelho)
2 bandejas pequena de cogumelo tipo shimeji branco

Sofrito
3 colheres de sopa de pimentão verde em cubos
3 colheres de sopa de coentro picado finamente
1 cebola pequena em cubos finíssimos
3 dentes de alho pilados ou picados finamente
2 colheres de sopa de urucum em pó
1 colher de sobremesa de curcuma ralada
1 colher de café de páprica defumada (opcional)
1 colher de café de páprica picante (opcional)
pimenta vermelha picada a gosto
salsa picada para decorar
sal a gosto
manteiga para refogar (usei 1 col sopa)

1. Coloque o guandu em água fria e cozinhe por 15-20 minutos ou até que fique tenro. Escorra.
2. Coloque todos os ingredientes do sofrito na panela e refogue até a cebola ficar transparente. Se grudar, acescente um pouco mais manteiga ou umas colheres de água.
3. Coloque os cogumelos e o guandu cozido e cozinhe por 3-5 minutos, misturando sempre, ou até amaciar. Adicione o sal para ajudar o cogumelo a soltar água.
4. Adicione o arroz, misture delicadamente e cozinhe até todo caldo ser absorvido, em fogo baixo, algo como 3 - 5 minutos. Acerte o tempero e sirva.

7 comentários:

  1. Maravilha! Guandu é vida! Vou provar esta receita que ficou com uma cara ótima.

    ResponderExcluir
  2. Conheci o Guandu uns 25 anos atrás em MG (aqui no RS não tinha visto e não saberia reconhecer naquela época). Depois disto fiquei fã! Ótima postagem!

    ResponderExcluir
  3. Ele fica bem gostoso, apesar da cor pálida. O legal é que é produtivo e substitui as ervilhas. Ervilhas frescas aqui em SP são bem caras e só aparecem no inverno. O guandu produz o ano inteiro, então ponto pra ele! abraços

    ResponderExcluir
  4. Será que o frio interfere muito no crescimento do guandu? As minhas estão indo bem devagar aqui no alto das montanhas de Campos do Jordão. Já as ervilhas estão a todo o vapor. Pena que, como você já disse, produzem pouco.
    David Kim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi David só para dividir um pouco a minha experiência... Plantei Feijão Guandu esse ano e tivemos algumas geadas, não afetou o Guandu... Mesmo estando ao lado de outras plantas que sofreram bastante. Pelo o que eu vi diria que ele vai bem também com o frio. Mas é uma planta que demora para crescer... Colhi as primeiras vagens do meu 6 meses depois do plantio. Espero ter ajudado... Pedro

      Excluir
    2. O meu pé de guandu (só sobrou um; o resto deve ter sido arrancado sem querer) também parece não ter ligado para as geadas. Agora está em flor, um ano depois.

      Excluir
  5. É interessante comer os grãos imaturos frescos, sem cozimento?

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...