Páginas

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Contaminação: pode colher da calçada?

Muitas dúvidas tem surgido à respeito de onde colher de contaminação das plantas colhidas em ambiente urbano. Vou brevemente tentar explicar um pouco sobre isso. Primeiro, quais os principais tipos de poluentes e como evitar cada um deles.

Adoro fazer cocô nas PANC na calçada.

Contaminação biológica: microrganismos, em geral patogênicos, decorrentes de contato da planta com fezes, esgoto, urina. Essa, por sorte, é a mais simples de resolver. Todo alimento, inclusive do mercado e feira, deveriam passar por um processo de lavagem + sanitização. Afinal, você não sabe por onde essa planta passou, se o agricultor tinha cachorro, gato ou rato solto na plantação... Além do mais, entrepostos como o CEASA/CEAGESP de SP são repletos de ratos, baratas e morcegos. Ou você acha que só porque aquele alface chegou lindinho nas suas mãos que ele não pode estar cheio de doenças?
Resolvendo: Eu pessoalmente não gosto desse higienismo e do desespero por limpeza, mas se costuma colher coisas do quintal e você tem cachorro, gato ou outro bicho, por favor, deixe de molho em uma solução de cloro (existem produtos próprios para isso) ou cozinhe bem o alimento. Você vai evitar um monte de doenças.

Contaminação do ar: o ar contaminado é o mesmo que respiramos. O problema é que as plantas acumulam esse contaminantes, tendo concentrações muito mais altas que as do ar. Por exemplo, os metais pesados vem junto com a fuligem, derivadas do tráfego veicular (combustível+desgaste mecânico+ressuspensão de solo contaminado). Esse material se deposita sobre as folhas e é em parte absorvido, podendo chegar a níveis altos. Alguns compostos orgânicos presentes no ar também se acumulam. Nesse caso, o ideal, para hortas urbanas, é evitar plantas de ciclo longo (ex: folha de vinagreira, de chaya, de amora), e focar nas de ciclo curto, cuja exposição será menor. Plantas de folhas lisas tendem a acumular menos poluentes do que plantas peludinhas e rugosas. Ou seja, uma beldroega tende a acumular menos fuligem do que um assa-peixe ou um peixinho-da-horta.
Resolvendo: Lavar bem as folhas, evitar ambientes de alto tráfego e beira de rodovias e avenidas. Barreiras verticais impedem a chegada de metais pesados no particulado - prédios, telhados e densos grupos de plantas atuam como filtros. Por exemplo, uma hortaliça plantada na beira de um parque, perto de uma rodovia, e outra dentro de um parque, cercado por árvores, a segunda tende a ser menos contaminada por metais pesados oriundos do ar.

Os maiores poluidores urbanos,
só perdem para a indústria.
Contaminação do solo: o solo podem ser contaminado, e em geral é. Calçadas e beiras de rodovias são em geral contaminados devido à vazamento de produtos dos veículos, derramamento de produtos químicos, acúmulo de poluição do ar sobre o solo, etc etc. Outros locais problemáticos é onde há muito lixo (descarte de produtos químicos, de pilhas e baterias, ferrugem de objetos metálicos), uso de agrotóxicos, esgotos (resíduos de produtos de higiene e limpeza), indústrias, oficinas mecânicas e postos de gasolina. As plantas absorvem esses compostos orgânicos e metais pesados e isso acumula de forma severa em muitos casos.
Resolvendo: Não colha plantas de locais onde você não sabe se o solo é contaminado, beira de vias de alto tráfego, aterros (de onde veio o solo?) e de tudo citado anteriormente. Análise de solo por ser um pouco cara, mas se você tiver curiosidade, vale testar o solo do seu quintal ao menos para metais pesados, para ter certeza de não colocar sua família em risco. Remediar é sempre mais caro do que prevenir, não esqueça :)

Agrotóxicos: presentes no solo, água e ar, em geral com proximidade de locais com cultivo que usa veneno. Evite colher nessas áreas.

Jardins de prédios: não sei se você sabe, mas as empresas que cuidam do paisagismo de prédios são campeãs no uso de venenos e agrotóxicos. Não consuma nada! Converse com o paisagista/jardineiro do seu prédio para saber o que eles usam e se vale a pena arriscar sua saúde. E cobre para que usem métodos menos perigosos e naturais no controle de pragas. 

Plantas ornamentais: flores bonitas, em floriculturas ou nas feiras, são lindas, mas recebem toneladas de veneno para ficarem daquele jeito. Afinal, como não são usadas para consumo humano, a elas são dedicados os agroquímicos mais perigosos. Não consuma nada comprado em floriculturas ou por empresas de paisagismo. Na dúvida, pergunte. Sabe aquela pimenta que vem escrito "pimenta ornamental"? Ela seria naturalmente comestível, mas é ornamental porque deve estar repleta de veneno tóxico :) Pétalas de flores, que não são cultivadas para fins comestíveis, idem.

Não colha da beira do rio contaminado! Não! Nunca!
Dica bônus: é possível minimizar a contaminação. Primeiro, lavando bem os alimentos e tirando o superficial. Segundo - trazendo para o cultivo em casa. Colha a planta inteira ou partes dela e remova a maior parte que pode ter ficado exposta à poluição, folhas e flores, mantendo o mínimo necessário para ela pegar/brotar/sobreviver. Plante em solo descontaminado e de boa procedência, oriundo de compostagem ou substrato comercial. Não se preocupe muito em relação à proteger da poluição do ar, porque no fim das contas é o mesmo ar que você respira e não dá pra viver numa bolha.

Se for plantar em casa, remova folhas,
para minimizar contaminação. Na foto, beldroegão.
Dica bônus dois: evita colher folhas secas de árvores próximas a locais com alto tráfego, mesmo para a compostagem - prefira de locais mais afastados da cidade. Assim como terra, evite pegar em locais que você não sabe o que pode haver - praças, terrenos baldios, calçada e etc, que em geral são contaminados.

Dica bônus três: não existe nenhum truque para retirar agrotóxicos e poluentes das plantas. Carvão, vinagre, bicarbonato, iodo. Nada disso funciona, nada disso tem fundamento científico e estão tentando enganar você. O poluente está lá e vai continuar lá. 

Dica bônus quatro: Consuma orgânicos e compre/colha locais de procedência confiável, como produtores de orgânicos e cooperativas de agricultores certificados. Locais fantásticos para comprar PANC de procedência garantida são as feiras orgânicas da sua cidade - é só pedir para o agricultor/produtor!

Por fim: para fazer "mal" para a saúde depende da sua pré-disponibilidade, da frequência com a qual você ingere, da forma de preparo, da sua idade, peso, saúde. Não "sentir" nada hoje não significa não sentir nada amanhã. Fique de olho!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...