sábado, 2 de agosto de 2014

Comendo no Inverno: Os pastos Apícolas

A primavera é conhecida como a estação das flores. Pudera, as chuvas voltam, o clima esquenta, as plantas aproveitam para dar flores, os insetos tem néctar, nascem os filhotes dos passarinhos que se alimentam dos insetos que se alimentam do néctar.... E aí segue uma cadeia infinita.

Ok, mas e no inverno? De que se alimentam os insetos no inverno? Porque, como eu e você, eles não hão de hibernar nem jejuar por tanto tempo. Mas, se na primavera tem flores, muitas, o que tem no inverno?

Flores, poucas. Mas flores. Por isso, é importante ter matinhos no quintal, diversidade de árvores na rua. Mesmo que não sejam nativas, melhor se forem. Mas mesmo que não, é bom ter uma fonte de comida para os insetos que se alimentam de néctar.

A história é a seguinte. Especialmente onde hoje são grandes cidades, a natureza dava seu jeito. No cerrado e matas aqui do sudeste, onde há estiagem e é frio, existem flores que abrem nessa época e fornecem alimento. Mas as cidades cresceram, as plantações de cana cresceram, os eucaliptais cresceram, e nada de flores no inverno.

As que estavam por aí, nas ruas, vasos, praças, canteiros e beiras de estrada, eu fotografei. Aposto que fizeram a festa das abelhas.

Maria pretinha, Solanum nigrum, que por sorte a prefeitura esqueceu de arrancar. Flores pros insetos, frutos pros pássaros.

Emília vermelha, Emilia forsbergii. Com abelha nativa.
Capuchinha na Horta da Lapa.

Crepe do Japão, Crepis japonica, posando pra foto.

Tagetes silvestre, dando cor pro terreno onde todo o resto do mato secou com a estiagem.

Grão de Bico, Cicer arietinum, delicada, na minha horta.

Nativa do cerrado, tida como daninha, a Vassoura-Relógio (Sida rhombifolia) estava se fechando ao anoitecer.

Dombéia, ou Astrapéia, Dombeya walichii. Africana, suas flores perfumadíssimas alimentam muitos tipos de abelhas. Cheia de nectar,  escuta-se o zum zum de longe.

Azaléia de jardim. Não dá mel muito bom, mas a Irapuã estava fazendo a festa.

Spermacoce verticillata, com abelha nativa.

Assa-peixe, Vernonia polysphaera, uma importante nativa que fornece muito néctar e pólen. Porte arbóreo.

Feijão Guandú, cheio de flor.

Pyrostegia venusta, Flor de São Joao, em fim de floração, também não faz feio em época de estiagem. Trepadeira sempre lotada de abelhas, abelhinhas e abelhões.

Alcaçuz do cerrado, Macroptilium lathyroides crescendo na roça. Lindas e enormes flores azuis. 

Planta venenosa, mais procurada por morcegos e mariposas, a Trombeteira, Brugmansia suaveolens, está linda, em especial a noite, quando fica perfumada. De dia, as Irapuãs se deleitam - e picotam tudo.


Alternathera paronychioides, com abelha nativa.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...