Páginas

sábado, 27 de setembro de 2014

Na natureza selvagem: as plantas fogem? Matos que não se comem.

Quem nunca ficou com vontade de comer uma frutinha que viu num quintal por aí, ou talvez numa trilha? Qual criança não gostava de colocar na boca matinhos do jardim? Uns doces, uns azedos, uns amargos... Eu gostava bastante. Por sorte, não comi nada que fizesse mal, mas meu pai tem uma história assim.

Quando meu pai era criança, nascia num terreno perto da casa dele uma moita linda de costela-de-adão (Monstera deliciosa). Um belo dia ele estava sem nada pra fazer, e cansado de comer as amoras da árvore ao lado, resolveu mastigar um pedacinho da folha recortada da costela-de-adão. Tão linda, que mal poderia fazer? O resultado: foi parar no médico com um edema de glote. A garganta dele fechou, a língua inchou e o lábio ardia como fogo. Se eu estou aqui e você lê essas palavras, o final foi feliz e a recuperação foi boa. Mas poderia não ter sido.

Costela de Adão - Monstera ssp. Vai encarar?

As plantas podem ser venenosas, isso é um fato. Um certo autor americano disse "as plantas não correm". Afinal, se pudessem correr, não teriam desenvolvido por seleção natural venenos, espinhos, cascas, fibras. Não, as plantas não fogem. Embora as plantas não fujam quando estão sob ameaça, elas tem seus mecanismos de defesa. Algumas podem te matar com apenas poucos frutos ou folhas, enquanto outras podem ser consumidas em grandes quantidades por curtos períodos. Algumas são venenosas, mas o preparo correto as deixa perfeitamente comestíveis.Certas plantas dão alergias com o simples contato com a pele, outras precisam ser mordidas para liberar veneno. Que medo!

Pior ainda são as intoxicações geradas pelo excesso de consumo ou consumo a longo prazo, intoxicando e sobrecarregando o seu organismo. Algumas podem te envenenar aos poucos, inutilizar seu sangue, degenerar seu sistema nervoso, agredir seus rins, lesar seu fígado,  sobrecarregar seu coração.

Embora pareça dramático, até hoje existem mortes de envenenamento por plantas. As principais vítimas são animais e crianças, mas quem não se lembra da filme Na Natureza Selvagem, onde o protagonista confunde duas espécies de ervilha, uma comestível e outra venenosa, e acaba com um envenenamento crônico? (Para saber do que o protagonista realmente morreu, há uma excelente investigação aqui).

Alexander Supertramp, em sua última foto 

antes de perecer devido a envenenamento por 

ingestão de Hedysarium alpinum

Essa planta que nasce no seu quintal, jardim ou calçada, é venenosa? Ou pode ser comida sem problemas?

Testar se uma planta é venenosa é perigoso e definitivamente não é uma boa idéia. Existem centenas de guias ou tutoriais para identificar se uma planta é venenosa. Eu serei muito enfático aqui não recomendando essas práticas - nada de ficar provando matinhos pelo caminho, por mais tentadora que uma fruta possa parecer. 

Como sei que para muita gente esse parágrafo acima pode soar um grande blablablá, vamos colocar a mão na massa. A partir de hoje, teremos postagens semanais sobre as plantas venenosas, porque é bom ficar de olho nelas!

Até lá! 

5 comentários:

  1. Amei este blog, mto interessante!
    Vou acompanhar sempre!!

    ResponderExcluir
  2. ALERTA DE SPOILLER!!!! heheheheeh..... mas como o filme é baseado em fatos reais, tudo bem.... muito legal o blog

    ResponderExcluir
  3. A folha da Costela de Adão (Monstera Deliciosa) é tóxica em qualquer estado. Ainda bem que seu pai se recuperou! Já o fruto, maduro, é sim comestível. Para saber mais sobre o fruto e o ponto certo de comê-lo, leia este artigo da Neide Rigo: http://come-se.blogspot.com.br/2015/01/a-fruta-deliciosa-monstera-deliciosa.html. ;)

    ResponderExcluir
  4. Boa postagem, Guilherme. A propósito: você indicaria algum manual à venda no mercado para identificação de espécies comestíveis? Desde já, agradeço pela atenção!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...