Páginas

quinta-feira, 26 de março de 2015

Urtigas. Vamos desconfundir. E comer.

Urtiga é um daqueles nomes que as pessoas já associam com seu principal efeito: urticância. Para alguns, manifestado na forma de coceira, para outros - e eu me incluo nisso - formando bolhas e pústulas extremamente doloridas.

Meu primeiro contato com a urtiga foi no quintal da casa que morei. Elas nasciam em profusão na primavera, dominando o quintal. Era a a espécie européia, Urtica dioica, que forma pequenos arbustos parecidos com hortelãs recortadas e peludinhasEu já havia identificado que poderiam ser urtigas, mas só descobri um dia que estava pendurando roupa e a parte exposta entre minha calça e minha meia tocou uma das folhas.

Urtiga dioica, Urtiga-Verdadeira. A que me queimou.

A dor é imediata, parece uma picada de abelha ou de formiga, e dói, dói. Por sorte, eu acumulo conhecimentos que podem calhar nessas horas, e corri pro banheiro - o antídoto natural para a urtiga-dos-jardins é o mentol, o óleo essencial da menta e do hortelã. Serve pasta de dente, enxaguante bucal, bala de menta, chiclete, qualquer coisa mentolada. Todos lá em casa já sabiam, e eu tinha um frasquinho de enxaguante bucal onde guardava minhas ferramentas, no caso de esbarrar nas urtigas. E aconteceu, várias vezes. Se não tratado na hora, surgirão bolhas doloridas no local.

Porque a urtiga dói? Cada pelinho (tricoma) é um frasquinho de veneno, preenchido com várias substâncias doloridas, entre elas o ácido fórmico e as histaminas. O ácido fórmico é a mesma substância do veneno da formiga, e as histaminas são vermelhidão, coceira e prurido.

Para quem gosta de trilhas, leve um pacote de balas de menta extra-forte na bolsa, no caso de esbarrar numa dessas urtigas-bravas. Masque ligeiramente a bala, para umedecer, e passe a saliva mentolada sobre a área. Alivia em minutos, parece mágica. Não sei se funciona pra todas as urtigas, mas para aquelas que já encostei, funcionou muito bem. Disse uma amiga portuguesa que a natureza oferece o veneno e o antídoto, cabe a nós perceber. Em Portugal, as urtigas e as mentas nascem sempre juntas, porque gostam de ambientes parecidos. A natureza é gentil. (E se não resolver, tome um antialérgico.)

Mas as urtigas, tão perigosas, são comestíveis? Sim, na realidade quase todas. São ricas em ferro, cálcio, proteínas e fibras, ou seja, altamente nutritivas - e o sabor é bom, na linha da taioba, do espinafre ou da escarola, mas sem o amargor. Primeiro fato sobre as urtigas - nem todas elas são urticantes. Por exemplo, temos muitas ornamentais, como as Pilea (planta-alumínio, folha-zebra, brilhantina)* e até mesmo plantas de porte arbóreo, como as cecrópias, tão comuns nas nossas matas. Algumas são mansas e você pode manusear sem problemas. Outro fato sobre as urtigas: elas gostam de sombra e apreciam umidade, podendo crescer bem em vasos ou próximo a muros. Porém, diferentemente das taiobas, não toleram solo encharcado.

*(Todas as ornamentais citadas no parágrafo anterior não são comestíveis, ou pelo menos não encontrei registros de que o sejam).

Algumas parecem urticantes, mas não são, e isso é um problema, elas são parecidas e é muito fácil confundi-las. Na dúvida, não coloque as mãos e colha com luvas. Mesmo assim, após cozimento, as folhas são comestíveis e muito, mas muito saborosas. E para nossa sorte, uma das verduras mais nutritivas que existem. Por trás desses pelinhos venenosos, esconde um dos teores mais altos de proteínas, ferro, manganês e boro do reino vegetal. Acho que essa sim seria a "carne vegetal", concorrendo em nutrientes e sabor com a ora-pro-nobis.

O preparo é simples: colha as folhas com luvas. Lave bem, depois dê um banho de alguns minutos na água fervente. Está pronta pra usar, mas antes, claro, prove um bocado, para ter certeza que ela não vai pinicar sua boca. Se for uma urtiga bem "brava", coloque uma pitada de bicarbonato para neutralizar o "veneno".


URTIGA-DE-JARDIM, URTIGA-EUROPÉIA

Das urtigas mais comuns, temos a urtiga européia, chamada em inglês de nettle e em italiano de urtica. É amplamente usada por lá, e mesmo na Irlanda a minha vizinha comentou consumir esporadicamente as urtigas cozidas ensopadas com carne e batatas, por vezes cozidas no creme de leite. O sabor é realmente bom e eu pude provar uma de suas receitas. Na Itália, é um ingrediente de minestrone de primavera e até de pestos. Aqui no Brasil, é mais difícil de achar, mas não impossível. Ela gosta de sombra e umidade, como todas as urtigas, mesmo as nativas. Já encontrei até mesmo na beira dos lagos do Ibirapuera, esbarrando nelas por acaso (e mais uma vez, salvo pelas balas de menta). Mas nunca consegui fazer muda.

Urtiga-européia. Pode ter a folha compridinha ou
mais curta, como na primeira foto da postagem.
Ambas pertencem a mesma espécie: Urtica dioica.


URTIGA-MANSA

Temos, dentre as urtigas mansas, a urtiga-mansa, folha-de-santana ou assa-peixe (não confunda com o outro assa-peixe, a Vernonia ssp.). Ela forma uma planta arbustiva de até 5m de altura, comuns na mata atlântica e floresta semi-decidual. É fácil identificá-la pelas folhas compridas, pouco serrilhadas e pelas inflorescências pendentes e longas. As folhas devem ser consumidas preferencialmente cozidas, quando ficam mais macias. Deve ser removida a nervura central e cortá-la finamente. Folhas mais jovens são mais macias e apetitosas. Acredito que um pouco delas no suco ou na vitamina não farão mal, mas na dúvida, cozinhe. Use no lugar do espinafre ou da couve em receitas.  Nome científico: Boehmeria caudata.

Urtiga-mansa, na Mata. Trilha da Pedra Grande, Cantareira.

Urtiga-mansa, na Mata. Note as longas inflorescências.

RAMI

Temos ainda o Rami, uma urtiga-mansa usada na cozinha, também. Muito parecida com a Boehmeria caudata, porém com folhas arredondadas, maiores e flores brancas e que não são pendentes.A parte "de baixo" da folha é esbranquiçada. Os usos podem ser os mesmos que o da planta anterior, a Boehmeria caudata. Aliás, são parentes - o rami se chama Boehmeria nivea. Como as folhas são maiores, talvez possam ser usadas inteiras, para fazer rolinhos ou charutinhos. Eu pessoalmente achei essa espécie muito fibrosa e só consegui consumi-la cozida, batida e depois coada, fazendo um "caldo verde" e tendo as fibras removidas.

Rami, não queima. E nasce em grupos.
Folhas macias, mas fibrosas. Na trilha da Pedra Grande, na Cantareira.

Rami, em detalhe.

URTIGA-VERMELHA

Das urtigas bravas, temos a Laportea aestuans, chamada de urtiga vermelha. possuindo os ramos avermelhados. Pode ser pouco ou muito urticante, e deve ser manipulada com cuidado. As folhas são bem escuras e serrilhadas, e podem causar queimaduras dolorosas. Cozinhe em água fervente apenas as folhas, escorra e depois, refogue em óleo quente com temperos e sal. O sabor é ótimo, uma boa substituição pra escarola, porém sem o amargor. Ela possui uma parente próxima, a Laportea glandulosa, que não é urticante e pode ser preparada da mesma forma. Nas fotos acima, temos apenas as mansas.

Laportea, ou urtiga-vermelha-mansa, no
Hortão da Casa Verde.

Laportea, da Mansa.

URTIGA-ROXA, URTIGA-BRAVA, CANSANÇÃO

Das outras urtigas bravas, temos a cansanção, urtigão ou urtiga-roxa, que para mim, é uma das mais potentes em venenos. Nome científico: Urera nitida. Ela tem folhas muito grandes (até 22cm de comprimento) com além de pelinhos, acúleos grandes em ambas as faces. Nasce espontaneamente nas matas e muita gente acostumada a fazer trilha na Cantareira ou na Serra do Mar sabe que precisa evitar essa planta. Ela é bem fácil de ser reconhecida pelos "cabinhos" das folhas arroxeados e a presença de cachos de frutos presos ao caule, com frutinho róseos ou brancos, doces e aguados, redondos, menores que uma lentilha. Se for consumir, use luva grossa na colheita e antes de ferver, passe uma faca para retirar os espinhos. Por coincidência, é uma das urtigas mais saborosas, e é uma das verduras mais nutritivas que existe: altíssimos tores de ferro, boro e proteína (até 23% em base seca). Use da mesma maneira que a couve e o espinafre: em recheios de pães, tortas, molhos, cremes, sopas, arroz, escondidinho, salgados... Absolutamente deliciosa. Se tiver coragem, vale a pena.

Os frutos, característicos. Urtiga-roxa, urtigão, cansanção.

As folhas, serrilhadas e altamente urticantes.

Há ainda duas outras urtigas, a Urera aurantiaca e a Urera caracasana, que ainda não tive a chance de provar e serão abordadas futuramente aqui no Blog.

E você, conhece outro tipo de Urtiga? Como consome as urtigas?

15 comentários:

  1. Confesso que nunca Usei..., mas na Alimentação Viva. sei de pessoas que USAM no SUCO VERDE, CRUA. Deve ser de uma Espécie dessas Mais LEVES!

    ResponderExcluir
  2. Vejo tantas espécies parecidas com essas aqui pelas trilhas de Campos do Jordão. Não saberia identificar sem tocar antes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tocar é sempre um risco. Na dúvida, leve balas de menta com você!

      Excluir
  3. no sítio dos meus pais no sul de minas, tem uma espécie de urtiga bem bem espinhuda que não apareceu aqui. como faço pra te mandar uma foto?

    ResponderExcluir
  4. eu comi na canja de galinha sem saber que era urtiga pensei que fosse espinafre com sabor delicado e adorei em casa de uma amiga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, as urtigas são deliciosas. Eu fico perplexo do nosso pouco consumo, porque elas são fáceis de cultivar e muito versáteis na cozinha. Aprovado?

      Excluir
    2. na urtiga-mansa boehmeria caudada diz: deve ser removido a nervura central e corta-la finalmente. oq quer dizer isso? tipo tirar os seguentos das folhas ,e cortar pra q? pra cozinhar de novo ou pra comer?.

      Excluir
    3. Para consumí-la, corte a nervura central e consuma a folha picada finamente - pode ser antes ou depois do cozimento, o importante é estar cozida. Ela é fibrosa e se não for picada fica com textura pouco palatável. A nervura central achei fibrosa demais para ser consumida.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. otimas dicas, quantos minutos preciza cozinhar a folha picada ?

      Excluir
  5. Encostei sem saber em um cansanção e tive algumas erupções na mão muito doloridas que desapareceram em alguns dias.... Paralelamente apareceu um problema linfatico... dor, ganglio, inchaço apenas no pè e tornozelo esquerdo... sem causa, que só agora estou querendo associar ao incidente do cansanção.
    Alguem tem alguma informação a respeito?



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa Hilda, não achei nada a respeito, mas é possível. Ele tem uma quantidade relativamente alta de substâncias, você pode ser mais sensível ou alérgica!

      Excluir
  6. Oi... Outro dia meu cachorro encostou em uma brava a mesma agarrou no pêlo dele, ele pulou em mim e me queimou... Ficou mto feio, tomei antiflamatorio e fiz uso de pomada, mas já tem um mês e ainda coça de vez enquando. Na hora não sabia de mentol e nem o que fazer, só lavei e passei pomada antialérgica. Sabe o que posso fazer?

    ResponderExcluir
  7. Hilda, eu tive irritação na garganta, por isso o farmacêutico mandou usar antiflamatório.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...