Páginas

quinta-feira, 26 de junho de 2014

"Tempo de mastruço rasteiro" ou "Os melhores perfumes vem nos melhores frascos"

Quer um sinal de que o inverno (deveria) estar chegando? Numa fresta aqui, numa quina de parede, num cantinho na calçada. Preste atenção, porque agora é época. O mastruço rasteiro está brotando, graças as noites mais frias.

Um emaranhado de mastruço

Todo ano, por volta de maio, começam os brotinhos do Coronopus didymus aparecer. É uma planta tão pequena, mas tão pequena, que é preciso procurá-la no chão, quase abaixado. Uma única folha, crespa igual a uma de samambaia, mal chega a 5 cm.

Repare. Já dá pra ver as folhinhas dele, crespas, finíssimas, partindo todas da mesma base, surgindo. Parece quase uma mandala. Passadas umas semanas, ele se estica, ramifica, espalha.

Mastruço, em forma de roseta, brotando na entrada de casa
Você não vai vê-la em vasos, raramente em jardins novos ou calçadas recém reformadas. Ela em geral se estabelece em um local, floresce e enche o solo de sementes - isso lá pelo começo da primavera. E coitada, vai definhando com o calor, até que antes de novembro já desapareceu do mapa. Por isso, elas brotam todas ao mesmo tempo, originárias de uma plantinha que ali cresceu e semeou, nos anos anteriores. Se lembra de uma ano passado, vá ver - capaz que as filhinhas dela estejam por lá.

Não sou uma pessoa viajada, então não posso dizer que as plantinhas nasçam no país todo. No sudeste, garanto que sim. No sul, certamente. Depende do quão frio é o inverno de onde você mora. Noites frias, disso o Mastruço adora!

Depois que cresce um pouco, fica comprido e ramificado.
Parente da mostarda, seu sabor é muito parecido com ela. Só que muito mais intenso. Uma folhinha basta para perfumar um prato inteiro. Seus óleos essenciais são uma mistura de mostarda, couve e raiz forte: glocosinolato, glucotroaeolina, tiocinatos e isotiocinatos.

É usada, também, pelas suas propriedades medicinais. Mas o que interessa mesmo é seu potencial culinário.

Combina especialmente bem com: salada crua, pães, azeitona, azeite de oliva, massas integrais, carnes fortes, tomate, lentilha, ervilha, grão de bico.

Ou seja, qualquer prato com um dos ingredientes anteriores ficará mais gostoso com o matruço rasteiro.

Prove e depois me conte!

2 comentários:

  1. Caro Guilherme.
    Minhas recordações de infância me trazem cheiros e sabores. Um desses é do "mastrunço", como minha mãe nos oferecia, em salada. Nascendo espontaneamente na horta de minha casa fiquei na dúvida se era o mesmo. Tua postagem me orientou. Sabor incomparável aliada a lembrança de bons tempo. Refiz práticas e servi com vinagre de vinho. Nossa! Dá um gosto de natureza.

    ResponderExcluir
  2. Muito bacana seu texto, leve, fácil e cheio de informações. gostei bastante. encontrei essa plantinha, que também me lembra a minha infância, em uma calçada da vila mariana. você poderia me dar dicas de como eu planto essa gracinha em um quintal que tenho no fundo de casa? abraços

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...