Páginas

domingo, 1 de maio de 2016

Mitsuba, Salsa Japonesa



Minha primeira muda de mitsuba (Cryptotaenia japonica) eu ganhei num dos pic-nic de troca de mudas e sementes que acontecem periodicamente aqui em São Paulo. Alás, ganhei sob o nome de salsa japonesa, uma designação que me parece muito correta, porque é parente da salsa, tem sabor de salsa e é muito consumida no Japão como condimento.

Trata-se de uma planta de pequeno porte, com no máximo meio metro de altura quando em flor, mas com folhas em geral crescendo na mesma altura da salsinha, mas comparativamente muito maiores. É um salsinhão! As folhas são divididas em três partes, dando sua forma característica. 





Ela se desenvolveu bem em vaso, mas senti que ficaria melhor plantada no chão. Por acaso, plantei num dos cantos mais úmidos da horta, onde ela formou uma moitinha. Diferente da salsinha, ela vai se multiplicando por brotos e pode formar uma pequena touceira, se comportante como planta perene e demorando alguns anos para florir. A minha floriu em dois anos, secando completamente e deixando como herança sementes, que caíram na terra e formaram um tapete de mitsubas. Nasceram mudas até mesmo fora da horta, e eu não sei dizer como elas forma nascer por todo canto. Mas fico feliz que tenha sido assim. Mais mitsuba pra mim!

Para que ela não floresça e se mantenha como planta perene feito couve, não arranque pela raiz, e vá usando as folhas conforme necessário - isso aliás estimula o parecimento de mais e mais folhas.

É uma erva de crescimento muito rápido e bom rendimento, porque, com seu tamanho enorme, uma ou duas folhas são suficientes para temperar um prato. O sabor é muito parecido com do da salsinha, mas com o quê de salsão, muito suave. Dá pra ser usada na decoração ou como tempero, e acredito, até como salada, pelo seu tamanho. Cozidas ficam levemente amargas, então eu uso picadinha no final dos pratos, para dar cor e sabor - cheiro verde levanta qualquer prato sem-graça, não é?

Para fazer mudas, você pode comprar sementes na internet ou por divisão de touceira. Aqui em São Paulo às vezes aparecem maços dela para venda nas mercearias orientais, daí é só usar as folhas e plantar as raízes. Providencie terra fértil e bem drenada, sendo mantida sempre úmida. Na dúvida, saiba que ela tem as mesmas exigências de umidade e sol do hortelã - onde uma vai, a outra cresce também. Fértil, úmido, pleno sol ou meia sombra.

Toda verdura faz bem e eu a como porque acho gostoso, mas para quem for interessante, assim como a salsa, é rica em cálcio, vitamina A, vitamina C, proteínas. Picadinha, entra como tempero para quase tudo. No Japão, não entra como protagonista em receitas, porém é usada com frequência em sopas e saladas frias.


4 comentários:

  1. Oi, Guilherme! Acompanho sempre o seu blog, e hoje tenho a oportunidade de dar uma informação sobre o nome dessa planta: Mitsu = três. Bá (ou há) = folhas!

    ResponderExcluir
  2. Eu ando por aí sempre procurando plantas mas no fim fico frustrada. outro dia trouxe uma taboia e na hora de arriscar descobri que existe também o tipo de taboia brava... Ain!!! Bem que você poderia abrir um espaço pra que nós te enviássemos imagens das plantas que temos e assim poder tirar as nossas duvidas. O que acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kcau, basta mandar as dúvidas no matosdecomer@gmail.com, respondemos a todas as mensagens :)

      Excluir
  3. A muito tempo procuro uma erva que chama Seri (Oenanthe javonica) voce conhece?

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...